Você está visualizando atualmente Governo do Amazonas através do Fundo de promoção social retorna à Fazenda da Esperança para entrega de novos equipamentos

Governo do Amazonas através do Fundo de promoção social retorna à Fazenda da Esperança para entrega de novos equipamentos

Primeira dama do estado Taiana Lima acompanhou e entrega

Hoje foi dia de retornar à Fazenda da Esperança para entregar novos equipamentos que são tão necessários e transformam para melhorar o dia a dia dos acolhidos.

Me sinto muito feliz em fazer parte desse momento proporcionado pelo @governo_do_amazonas através do @fpsamazonas. Aproveito para parabenizar essa obra social que faz um trabalho tão bonito e necessário em nossa sociedade. Obrigada pela linda recepção.

A Fazenda da Esperança é uma comunidade terapêutica que atua desde 1983 no processo de recuperação de pessoas que buscam a libertação de seus vícios, principalmente do álcool e da droga.

Um de nossos diferenciais é acolher mulheres gestantes e mães com seus filhos pequenos, uma vez que o afeto positivo se apresenta associado ao carinho entre mãe e filho, demonstrando a construção real de vínculos afetivos.

QUEM PODE SER ACOLHIDO(A)?

A Fazenda da Esperança acolhe homens e mulheres com idade entre 18 e 59 anos que desejam, livremente, se recuperar de drogas, álcool e outros tipos de vícios. É necessário entrar em um processo pedagógico de 12 meses de duração. Quem pretende viver esse desafio dá o primeiro passo através de uma carta escrita de próprio punho, manifestando os motivos da sua vontade em buscar vida nova. O(a) interessado(a) em uma vaga deve enviar seu pedido de ajuda à comunidade mais próxima de sua residência.

Assim, possibilita a seus parentes visitá-lo(la) a partir do terceiro mês, quando os relacionamentos são reatados, a fim de superarem juntos os problemas gerados pelas drogas e pelo álcool. O(a) candidato(a) recebe uma explicação dos procedimentos e das regras a serem seguidas para se recuperar em uma das comunidades da Fazenda da Esperança.

No dia da entrevista, são exigidos documentos, exames médicos e sobriedade. O acolhimento é feito pela equipe de coordenação local e depende, principalmente, da disposição pessoal e da vontade de se tornar um “homem novo” ou uma “mulher nova”.